4 de maio de 2014

Playstation 4 vs Xbox One: A nova geração

Sony Playstation 4, joystick Dualshock 4 e a câmera
Há muitos anos, escrevi um artigo intitulado "Xbox 360 x PS3, uma visão sem fanatismo", na época estava escolhendo um dos dois e fui pesquisar qual seria a melhor escolha, no fim desisti, mas meu pai alguns anos depois comprou um Xbox 360 devido ao Kinect para meus irmãos. O artigo de hoje não tem essa função, não tenho absolutamente nenhum interesse em comprar os videogames de nova geração (ao menos por enquanto), mas acompanhando o seu lançamento, seu hardware, firmware e jogos, tenho algumas ideias que gostaria de compartilhar com vocês.

O Xbox One foi anunciado envolto de um grande polêmica, cada jogo seria atrelado a sua conta da Live, ou seja, não seria possível vender, nem pegar jogos emprestados. Minha primeira reação foi bem negativa também, mas depois pensando melhor, se os preços chegassem perto do Steam, poderia ser algo positivo. O problema em si, é que duvido que o preço dos jogos abaixariam tanto, além disso, lojas americanas costumam vender jogos usados por preços bem atraentes, isso ainda seria permitido, mas pagando uma taxa para a Microsoft, elas poderiam acabar boicotando o console. No fim a Microsoft acabou revogando essa medida, mas o estrago já estava feito.

Kinect, Xbox One e Joystick
Com a péssima estratégia da Microsoft a Sony conseguiu uma façanha e tanto, anunciar que o Multiplayer dos jogos passaria a ser pago, assim como a Microsoft já fazia, e com isso ser aplaudida, pois dos males o menor. O Playstation 4 chegou como um puro e simples videogame, o seu único foco seriam os jogos, nada de central multimídia do Xbox One, os jogadores gostaram bastante.

Ambos os consoles usaram um único chip da AMD com uma CPU de 8 núcleos e GPU integrada, porém com abordagens diferentes. A CPU do PS4 tem clock de 1,6 GHz, enquanto o XONE de 1,75 GHZ, um ganho de quase 10%, ambos contam com 8GB de RAM, porém o tipo de memória é diferente, o PS4 usa GDDR5 mais rápida que a DDR3 do XONE, que tenta compensar isso usando um cachê de 32 MB ESRAM, uma memória ultrarrápida.

Processador e GPU (mesmo chip) do PS4 (Ifixit)
Em minha opinião a principal diferença entre ambos é a GPU, o console da Sony usa um Radeon com 18 unidades de processamento (1152 núcleos) e um clock de 800 MHz e 32 ROPs, enquanto o da Microsoft tem 12 unidades de processamento (768) e um clock de 853 MHz e 16 ROPs, isso da uma vantagem de aproximadamente 40% para Sony. A diferença no número de ROPs também faz que renderizar jogos em altas resoluções seja mais difícil para o console da Microsoft.

Na minha visão ocorreu o seguinte, memórias GDDR5 são caras, era extremamente improvável a Sony colocar 8 GB, tudo indicava que a quantidade final seriam de 4 GB, com isso a Microsoft, apesar de ter uma memória e GPUs mais lentas ganharia na quantidade, que também permitiria rodar programas em paralelo com os jogos. Ela foi pega de surpresa com a decisão, até porque a diferença de custo dos 4 GB de memória impactaria ainda mais as frágeis finanças da Sony. Achei uma decisão muito acertada, o console provavelmente ganhou alguns anos a mais no mercado. A única bola fora da Microsoft foi não permitir a troca do HD pelo usuário, muito pelo contrário, é extremamente difícil acessar o HD do console, a Sony por outro lado facilitou bastante isso, sendo um procedimento que pode ser feito em casa.

Processador e GPU (mesmo chip) do XONE (Ifixit)
Continuando a análise do hardware, devemos lembrar dos problemas de aquecimento que os primeiros modelos do Xbox 360 tiveram, com isso a Microsoft tomou um caminho mais conservador, colocando um ótimo sistema de resfriamento, numa caixa grande, além da fonte externa. Com essa abordagem considero o console muito sólido, dificilmente você verá consoles queimarem por causa do aquecimento. A Sony por outro lado, colocou tudo num gabinete só, que é menor que o Xone, devemos lembrar também, que como o PS4 é mais poderoso ele também esquenta mais.

O aquecimento de um console está diretamente ligado ao seu consumo de energia (pois toda energia gasta pelos chips são convertidas em calor). Numa análise do Anandtech é possível ver um consumo de 140 W para o PS4 e 120 W para o XONE, o que realmente me surpreendeu foi o consumo do console sem fazer nada, de 90 e 70 W respectivamente. Esse consumo é extremamente elevado, um computador com uma APU da AMD gastaria facilmente metade disso, logo até agora não foram implementados nenhum mecanismo de economia de energia, infelizmente.

Dissipador da APU do XONE (Ifixit)
O problema visualizado acima pode ter duas explicações, a APU vendida pela AMD não suporta nenhum mecanismo de economia de energia ou isso ainda não foi implementado em software. Ambos os firmwares foram lançados totalmente inacabados, no caso do Xbox era necessária uma atualização antes de fazer qualquer outra coisa.

A Microsoft construiu um firmware bem complexo com dois sistemas operacionais rodando em paralelo por meio de virtualização, isso permite rodar um segundo programa junto com o jogo, como o Skype ou o Uplay da Ubisoft. Isso traz mais comodidade, por outro lado deixa menos recursos reservados para o jogo em si, porém em ambos os consoles tudo é bem fluído e rápido, você pausar o jogo e ir para o menu principal do console, abrir um browser, comprar outros jogos, entre outras coisas, tudo isso com o jogo pausado. Entre as duas interfaces achei a da Sony mais bonita, mas ainda muito simples, não contando com temas nem muitos recursos.

Dissipador da APU do PS4 (Ifixit)
Muitos recursos previamente existentes no Playstation 3, como reproduzir Bluray 3D, CDs de música (coisa que o Xbox One faz), reproduzir MP3 ou conteúdo por streaming por meio de DLMA, entre muitas outras coisas ainda não estão disponíveis. O sistema da Microsoft também está devendo muito, olhando as funções adicionadas nos últimos updates é possível encontrar suporte a Bluray 50 Hz (europeus), o suporte a teclados, habilidade para deletar salves de jogos e aplicações (no 6.2.10542.0, não sei se entendi certo, mas não era possível apagar salves de jogos?).

Com o Kinect incluído em todos os consoles vendidos é esperado que ele seja mais utilizado em jogos, além de no próprio sistema. Foi adicionado um sistema de reconhecimento de fala mais elaborado do que estava disponível no Xbox 360, agora é possível trocar da televisão para um jogo apenas falando "Xbox go to nome do jogo", também é possível ligar o console com "Xbox on". Para usar essa função o Xbox fica num modo de Standby, gastando aproximadamente 15,3 W de energia, contra apenas 0,2 W desligado, devemos lembrar que o smartphone Moto X para fazer o mesmo gasta um pequena fração disso. Um consumo mensal de 11 KWh, aproximadamente R$ 5,50 por mês, o que considero bastante.

Além do consumo, uma coisa que me incomoda bastante é a falta do recurso CEC no HDMI, esse recurso possibilitaria o Xbox controlar algumas funções da TV, com volume, mudar para a entrada HDMI do Xbox, ligar, desligar, pelo cabo HDMI. Porém, para isso o XONE usa um emissor infravermelho, complicado, pois ele deve ter os códigos dos botões do controle da TV.

Cooler Xone (Ifixit)
Ambos os joysticks dos consoles de última geração são muito bons, o do Xbox 360 considerava o melhor da geração passada. O design do Dualshock já estava estagnado a bastante tempo e não era muito confortável para mãos grandes, o Dualshock 4 melhorou muito essa característica, sendo muito confortável. O joystick do Xbox One melhorou o direcional digital, que era muito ruim no 360, além do feedback nos gatilhos. Uma das características mais legais do joystick do Xbox era ser compatível com jogos de computador, se tornando um padrão, agora o joystick do PS4 também é compatível, o do XONE terá que esperar mais um pouco.

Agora os jogos... Isso é algo realmente pessoal, de todos os lançamentos de ambos os consoles os únicos que me chamaram atenção foram o Dead Rising 3 e o Forza 5 do Xbox, que são do estilo que eu jogo. Killzone me chamou atenção pelos belíssimos gráficos, não tanto pelo jogo em si. Assassin's Creed 4, Need for Speed: Rivals, Call of Duty Ghosts e Battlefield 4 são todos ótimos jogos, mas também estão disponíveis para computador, com a vantagem da base instalada maior (que no multiplayer é vantagem). Dos próximos lançamentos dois se destacam totalmente na minha visão: Quantum Break para o XONE, dos mesmos criadores de Alan Wake, e The Order 1886 no PS4.

Cooler PS4 (Ifixit)
Uma coisa que me irrita muito nos consoles da Microsoft é a necessidade de assinar a Live Gold para funções básicas como navegador, Youtube, Netflix e Crackle, na Sony isso não é necessário. Eu não gosto de jogos multiplayer, não tenho tempo para isso, logo assinar a Live ou a PSN para tal não me interessa, é chato ter que pagar duas assinaturas apenas para poder usar o Netflix, isso é algo que me decepcionou demais no Xbox 360.

Diante disso qual videogames escolher? No Brasil não vejo, ao menos atualmente, o Playstation como viável, não pagaria 4000 reais num videogames, um importado não tem nem garantia nem assistência paga da Sony (ao menos foi o que o Eng. Leo do Consoles e Jogos Brasil relatou), logo a única opção é o console da Microsoft. Nos EUA o Playstation 4 custa 400 dólares e o Xbox One custa 500, se o Playstation fosse lançado por um preço condizente no Brasil provavelmente ele seria a minha escolha.

4 comentários:

Ziul disse...

Com 4000 reais eu vou para o estados unidos compro PS4 e volto e ainda compro um xbox 360 rsrs

Ricardo disse...

Estava fazendo as contas ano passado, realmente da para viajar pros EUA e voltar, que ainda sai mais barato.

Jonass disse...

O negócio da garantia é complicado, porém comprei meu PS3 no Paragui à dois anos e está 100%. Compro também várias peças de PC à anos lá e a única coisa que deu problema foi uma PSU da Corsair. Levando em conta a economia que tive comprando no Paraguai, ao invés de comprar aqui com garantia, eu estou no muito no lucro.

Agora o que falta nesses novos consoles é jogo, comprei o PS3 pra jogar Metal Gear, Gran Turismo, Uncharted, etc. Nenhum dos dois tem nenhum jogo exclusivo desse nível ainda. Pra jogo acho o PC a melhor plataforma por enquanto.

Ricardo disse...

Vc deu azar eim com a fonte Corsair, a melhor marca, qual modelo era?

Depende muito do caso, para peças de computador pode valer a pena, pq se funcionou de primeira a chance de dar problema depois é baixa. Videogames, ainda mais logo depois do lançamento, a chance de dar problema, por um erro de projeto, é alta. Tudo bem que no Xbox acho extremamente improvável.

Com certeza, até agora não vi um único jogo que me faria ter vontade de comprar. Quero ver os dois que citei, esses me chamaram atenção.

Abraço,
Ricardo