2 de junho de 2012

Precisamos mesmo criar contas em tantos sites?

AOL, uma das pioneiras da Internet (fonte)
Há uns 10 anos atrás era comum você assinar um provedor de internet que lhe fornecia um email, além do acesso a algum site de noticias. Você não precisava de mais nada, não existiam redes sociais e a maioria dos sites se contentava com Cookies para armazenar alguma eventual preferência.

Atualmente, depois de surgirem e desaparecerem diversos sites, outros foram fundados e comprados por empresas maiores. Essas empresas, no geral, querem ganhar dinheiro com anúncios, assim ter informações sobre as preferências do usuário, para exibir propagandas direcionadas é fundamental, fazendo com que os usuários se cadastrem.

Posso citar vários sites que as pessoas criam contas como o Facebook, Google +, LinkedInLastFMYoutube, VimeoFlickrTwitter, Tumblr, Foursquare, Instagram, About.me, Dropbox e deviantART e os brasileiros Umamao, ebah e Skoob, entre diversos outros.

Instagr.am, serviço recentemente adquirido pelo
Facebook (fonte)
Tornou-se comum os sites quererem incluir funções sociais, ou mesmo tentar se tornar uma rede social. O Instagram que criei conta assim que a versão Android foi lançada, é uma espécie de Twitter para quem quer compartilhar imagens. Funciona da seguinte maneira, você pode "seguir" as pessoas e elas podem te "seguir" (mesmo que você não as siga). Você tira fotos, aplica filtros de imagem e as compartilha para seus seguidores, além de seguidores do Twitter e Facebook se você quiser. A grande questão é que o site só funciona através do App para Smartphone, não existe uma versão web. Outro ponto é que o próprio Twitter incorporou imagens e o Facebook permite há anos colocar quantas fotos você quiser, no entanto sem os filtros.

O Foursquare é um site que você faz check-in em alguns lugares (ou seja, você diz "eu passei por aqui"), se for várias vezes num mesmo lugar pode virar mayor (prefeito), ganhar algumas medalhas se cumprir desafios, numa espécie de jogo. Você também pode compartilhar suas localizações via Twitter e Facebook. Em minha opinião não passa de invasão de privacidade, mas milhares de pessoas utilizam. O LastFM é um Facebook musical, que compara suas preferências com seus amigos, sugerem bandas. Usava muito até alguns anos atrás, quando passaram a cobrar para poder usar a rádio, o site perdeu totalmente seu chamariz.


Foursquare, um site de localização (fonte)
O LinkedIn é uma rede social profissional, para manter contatos com amigos, possíveis empregadores, etc. Não sou muito fã da proposta, até porque existem outras maneiras de manter esse tipo de contato, tirando as redes sociais de universidades para ex-alunos (como esta). O Facebook, por outro lado, bem... é necessário. Quase todos usam, é um argumento bem "Maria vai com as outras", mas é verdade. O pessoal da faculdade usa os grupos para se comunicar.

Skoob, uma rede social para leitores (fonte)
Vamos citar os brasileiros. O Umamao é um site tipo Yahoo Respostas, mas para estudantes universitários, onde você pode tirar dúvidas de exercícios ou sobre o cotidiano de uma universidade, foi criado por estudantes da Unicamp. O ebah é uma rede social para universitários, permite compartilhar apostilas, o objetivo inicial era diminuir a quantia gasta em Xerox, foi criado por estudantes da Poli-USP. E o Skoob é uma rede social para leitores, gosto muito, mas na realidade uso apenas para controlar os livros que já li e que quero ler.

Duvido muito que você necessita realmente criar conta em tantos sites. A maioria das pessoas acaba fazendo isso apenas para estar na moda, isso não é necessário.

Apagando as contas

Tchau contas! (fonte)
Gosto de testar os sites, os serviços, funções, etc. No entanto, na maioria das vezes acabo não usando depois de um tempo. Dai, sempre que possível apago a conta. Tudo bem que muitas vezes isso apenas apaga a capacidade de logar, os dados continuam no servidor, mas não custa nada.

O que me faz fazer isso é que não gosto de ter perfis em sites, na quais pessoas podem me marcar, adicionar, mandar mensagens, mas que não irei ver. Tirando sites que não tem uso, como, por exemplo, a Sony Mobile, na qual muitos anos criei uma conta no Sony Ericsson para baixar temas para meu antigo W350, que nunca mais usei. Alguns dias atrás recebi um email falando que a Sony Ericsson virou só Sony, finalmente acabei conseguindo apagar, opção que antigamente não existia.

Segurança

(fonte)
Em tantos sites, infelizmente, acabamos repetindo senha, um erro fatal em muitas vezes. Mesmo em grandes empresas, como Microsoft e Google, já ocorreram vazamentos de senha de uma quantidade considerável de usuários. Querendo ou não você vai acabar repetindo as senhas em vários sites e você sempre pode ficar exposto.

Teoricamente os sites deveriam armazenar o hash da senha. Ou seja, eles pegam suas senha, fazem algumas operações matemáticas que a transformam em outra coisa, o detalhe é que o caminho inverso não é possível. Assim se roubassem os hashs, suas senhas estariam seguras. O único jeito de descobrir é testar todas possíveis até achar uma que bate com seu hash, mas isso pode demorar muitos anos se a senha for complicada.

Um ponto de grade preocupação minha são os aplicativos móveis instalados em meu Android. Se eu perdesse o celular ou fosse roubado, a pessoa teria acesso a muitas contas, como Facebook e Dropbox. Alguns Apps permitem colocar uma senha de 4 dígitos que caso seja digitada uma quantidade programada de vezes errada apagaria todos os dados do App. Esse feature é o que me permite deixar o Dropbox instalado nele.

Comércio Eletrônico

(fonte)
Por falar em segurança, um dos principais pontos são os sites de comercio eletrônico, em que o Brasil possui diversos. Cada um necessita de um cadastro distinto. Como você procura pagar menos acaba criando conta em vários para aproveitar alguma eventual oferta.

Muitos desses deixam você armazenar o número do seu cartão de crédito para comprar rapidamente, uma facilidade, que já causou dores de cabeça em outros países.

Um serviço que eu gosto muito é o de venda de jogos por download. O Steam é fantástico, poder baixar os jogos quando e quantas vezes você quiser é muito bom. Também existem os concorrentes, como o GOG (Good Old Games), cuja proposta inicial era apenas de vender jogos antigos, mas cada vez mais lança novos. E o Origin da EA, que é mandatório para os jogos nomes, mesmo os comprados em loja. Também existem alternativas nacionais, como o Nuuvem, que particularmente nunca utilizei.

Nesse caso, acho usar vários serviços uma grande desvantagem. O Steam é integrado, com chat, rede social, serviços de trocas de itens nos jogos, galeria com modificações, entre muitas outras coisas, que jogos comprados em outros serviços simplesmente não podem usufruir. Outro site que me chama atenção é o GOG, devido a liberdade de instalação, ou seja, não tem DRM (isso é bom!), que em alguns jogos no Steam chega a ser irritante (no HAWX 2 você precisa sempre estar online para jogar no single player).

Nenhum comentário: