12 de maio de 2012

Serviços de armazenamento na Nuvem

Second Life, febre que nunca pegou (fonte)
Alguns temas entram e saem da moda. Até alguns anos atrás o Second Life era a bola da vez, toda hora aparecia alguma reportagem exaltando as qualidades do jogo, mostrando que era o futuro, casamentos virtuais, pessoas que ganhavam dinheiro. Um americano maluco chegou até a hipotecar a própria casa para comprar lotes virtuais e montar uma loja, na época vinha ganhando dinheiro, hoje? Ninguém mais lembra. Depois foi a vez das redes sociais. No Brasil ficamos presos ao Orkut, enquanto nos EUA era mais usado o MySpace e atualmente o Facebook, que destruiu todos os concorrentes.

Agora com o lançamento do Google Drive, a popularização do Dropbox (devido a um inteligente método de propaganda) e o iCloud da Apple, fazem que o armazenamento de arquivos online seja a bola da vez.

Dropbox (fonte)
Tudo se iniciou com um estudante do MIT, que estava cansado de perder seu pendrive nos laboratórios de informática. Ele pensou "poxa, por que não guardar os arquivos na internet?", assim surgia o Dropbox. Cada vez mais a computação se move para internet, estamos o tempo todo conectados. A maioria das pessoas não se importa como os computadores funcionam, apenas que funcionem, logo ter um pendrive online é fantástico, para a maioria das pessoas.

Sempre estou viajando de um lado para outro, muitas vezes não ando com o Notebook, seja por preguiça de carregar, seja por medo de ser assaltado. Quantas vezes não esqueci o pendrive ou o DVD-RW em um lugar e fiquei sem os arquivos que precisava no outro. Desde que descobri o Dropbox passei a deixar as coisas que realmente preciso nele. O processo de propaganda dele é interessante, para cada usuário que criar uma conta por sua indicação, você ganha 500 MB a mais de espaço.

Google Drive (fonte)
Nisso o Dropbox é bem limitado, são 2 GB iniciais e até 16 GB devido aos convites. No Google Drive são 5 GB e qualquer espaço a mais deve ser pago. A Microsoft é bem menos conservadores nesse sentido, são 7 GB expansíveis por tempo limitado para 25 GB (você fica com o espaço para sempre), ou seja, muito espaço!

A Apple com seu iCloud, em minha opinião é o mais limitado, por outro lado talvez mais útil. Ele compartilha dados de aplicativos entre diversos iPhones, Macs e Windows, ou seja, se você edita um documento no iWorks no iPhone, pode acessa-lo também no seu Mac. O calendário do Outlook idem. Por outro lado, ele é bem limitado no armazenamento de arquivos, onde músicas devem ser pagas para serem guardadas e outros tipos de arquivos não podem.

Amazon Cloud Drive (fonte)
Outras empresas também entraram na onda, como a Amazon que criou um serviço muito parecido com o Google Drive, 5 GB de armazenamento e clientes para Windows e Mac OS X. Também existe o Box que conta com as mesmas características e clientes para iOS e Android.

Edição de Documentos e integração com outros serviços

Google Docs, atual Google Drive
Inicialmente o Google Drive se chamava Google Docs, aos poucos foram adicionadas a capacidade de armazenar documentos no site, depois de armazenar outros tipos de arquivos. O lançamento do Google Drive foi só praticamente a mudança no nome do serviço e o lançamento do cliente para sincronização de arquivos. Com o Skydrive da Microsoft é a mesma coisa, ele conta com um Office integrado online.

Com o Microsoft Office 2010 você pode salvar os arquivos diretamente no Skydrive. No caso do Dropbox não são raros programas que salvam arquivos nele, como alguns da desenvolvedora alemã Ashampoo.

Meus dados correm riscos de serem apagados?

(fonte)
Recentemente o Megaupload foi fechado, era o maior site de compartilhamento de arquivos do mundo. Na prática a maioria absoluta era de arquivos ilegais, mas um ou outro usuário usava o serviço de forma legitima, e esses perderam todos seus arquivos.

O Yahoo está numa grande crise, fechando seus alguns sites que não dão lucro. Existia um serviço de armazenamento de sites e arquivos chamado Yahoo GeoCities, existente desde 1994, que foi encerrado em 2009, quando todos os arquivos foram apagados definitivamente. A Apple antes do iCloud tinha o MobileMe, que será descontinuado daqui alguns meses. Outro exemplo é o Xdrive da AOL, que foi fechado em 2009

Backup em fita (fonte)
Então sim, a possibilidade de você perder seus arquivos online, seja por ordem judicial ou descontinuação do site existe. Por outro lado, falhas em hardware também são possíveis, no entanto os grandes provedores contam com diversas formas de backup, o que em um problema de hardware apenas deixaria seus arquivos offline durante um tempo. O Gmail, por exemplo, teve um problema de software que resultou na exclusão de emails, eles recorreram a backups em fita para restaurar os emails, demorou um pouco, mas restauram todos.

Portanto, é importante tomar cuidado com serviços pequenos e sem estrutura, é melhor ter menos espaço em uma empresa confiável. Citei apenas os sites de grandes provedores ou famosos, tome muito cuidado com os menores, os que oferecem muito cobrando pouco, lembre-se desconfie quando a esmola é grande.

Meus dados estão seguros?

Segurança (fonte)
Essa é minha principal preocupação, jamais deixaria online algo que não poderia ser tornado público. Deixo apenas documentos, trabalhos, listas, provas da faculdade, coisas que preciso acessar em outros locais, mas que não existiriam problemas em tornar público.

Existem diversos casos de serviços online que foram invadidos e cujos dados foram tornados públicos, apesar disso acontecer geralmente com emails. Vide o caso das fotos da Scarlett Johansson ou a falha de segurança do Dropbox que permitiu o acesso a qualquer conta.

Para que serve então?

A maior vantagem desses serviços é poder acessar seus arquivos em qualquer lugar, com quase qualquer dispositivo. Se você quer uma maneira de fazer um backup verdadeiramente seguro, um SAS com Raid seria uma opção melhor.

Nenhum comentário: