13 de janeiro de 2012

A tecnologia Quick Sync da Intel nos Sandy Bridges

Core i3 Sandy Bridge (fonte)
No artigo anterior prometi uma comparação de velocidade de conversão de vídeos entre alguns processadores e tecnologias diferentes. Fiz as conversões usando o software Arcsoft MediaConverter 7.5, que custa US$ 39,99, um preço bem alto se você levar em conta que a AMD distribui um gratuitamente nos drivers da Radeon (na aba optional). A Cyberlink também tem um muito parecido chamado MediaEspresso 6.5, preferi o do Arcsoft por achar seus softwares mais simples.

O recurso Quick Sync está disponível das GPUs dos processadores i3, i5 e i7 da linha Sandy Bridge (lançados no inicio de 2011). Portanto a menos que você use a GPU do processador ou tenha um computador que permite trocar entre placas de vídeos, o recursos não será ativado.

Foi testado um notebook Lenovo com processador Core i3 2310m (2,1 GHz) com 4 GB de RAM em um único pente. O desktop testado é um Core 2 Duo E7200 (2,5 GHz), 4 GB de RAM (em dual channel) e uma Radeon HD 5670 com 512 MB GDDR5. O vídeo testado é o Big Buck Bunny em 1080p no formato H.264, disponível aqui. No MediaConverter foi colocado o perfil como para Playstation 3 em 1080p e ativada a decodificação via GPU.


Tempos de conversão
Fica evidente como o Quick Sync é um tecnologia muito eficiente, sendo quase 3x mais rápido que o processador sem ele. Fiquei desapontado com a implementação da AMD que foi mais lenta que uma CPU atual e ganhou por muito pouco de uma já antiga.

O filme tem 9:56 de duração, por uma simples regra de 3 é possível concluir que um filme de 90 minutos levaria aproximadamente 26 minutos, um tempo muito bom, se levar em consideração que é em FullHD.

Isso suscita uma questão, será que não existe uma degradação na qualidade da conversão? Para comparar isso peguei um frame do vídeo, usando o Media Player Classic Home Cinema, o 00:00:24.657, e comparei as imagens, que podem ser vistas abaixo (clique para ampliar):

Usando o Quick Sync, o tamanho final do vídeo foi de 709 MB

Usando o i3, o tamanho final do vídeo foi de 755 MB

Usando o AMD APP, o tamanho final do vídeo foi de 614 MB
Usando o Core 2 Duo, o tamanho final do vídeo foi de 755 MB
É possível notar que a conversão usando o Quick Sync e a do i3 e Core 2 são iguais, com pequenas diferenças de cores, já a do AMD APP a imagem é mais borrada, claramente pior que as demais. Esperava que a do Core 2 e i3 fossem iguais, no entanto não foi isso que ocorreu, o provável motivo é a diferença no número de núcleos, onde o i3 é contado como 4 devido ao hyper-threading, e isso afeta parâmetros da conversão.

Se você converte muitos vídeos, o custo do programa vale a pena, caso contrário não. A Intel poderia copiar a AMD e distribuir gratuitamente um conversor simples, poupando o bolso dos consumidores.

2 comentários:

Marvel disse...

Torço pela AMD, pois sem ela os pc´s custariam o triplo de hoje ou mais, pois a Intel iria mandar e desmandar, porém vejo que ela só vive comendo poeira. É a segunda em processadore e segunda em GPU´s. Tenho o xilisoft instalado no meu pc, ele tem o AMD APP, porém mesmo habilitando não muda em nada o tempo de conversão, já com o CUDA da Nvidi a diferença de conversão é grande. Fico triste realmente, pois meu pc é 100% AMD.

RicardoZ disse...

O AMD APP me decepcionou muito, quase não existe diferença, acho que o Cuda na minha 8600GT seria mais rápido.

Eu tenho uma teoria que teríamos computadores tão rápidos e até mais baratos. Pq dai teríamos outras arquiteturas como a Sparc, PowerPC e a ARM... Não uma empresa que depende das mudanças efetuadas por outra parar projetar seu processadores (as instruções SSE e AVX, por exemplo).