10 de janeiro de 2012

Análise e estratégias de mercado, o caso Apple, Sony e Samsung

Microsoft (fonte)
É interessante notar como as coisas mudam com o tempo, companhias gigantes e entram e saem da moda. Há 30 anos quem pensaria que uma companhia minúscula de software (Microsoft) passaria a valer mais que a IBM (atualmente tem praticamente o mesmo valor de mercado). Ou há 10 anos, quem pensaria que uma companhia quase falindo (Apple) daria a volta por cima e passaria a ser a mais valiosa do mundo? As coisas mudam e o mercado é imprevisível.

Nokia N95 com o controle de músicas (fonte)
Primeiro vamos citar algumas coisas sobre a Apple, talvez vocês já saibam, mas vamos lá. Quando o iPhone foi lançado, a Nokia acabara de colocar no mercado o N95, que talvez tenha sido um dos melhores celulares que já existiu (para época), tinha uma câmera fantástica, um player de música muito bom, GPU (na época era novidade) e suporte a jogos da plataforma N-Gage. Nessa mesma época a Apple lança o iPhone, com certeza revolucionário, seu uso era muito mais agradável que o do N95, mas...

O iPhone original não tinha 3G (que na época podia nem ser uma grande desvantagem no Brasil, mas nos EUA...), não tinha GPS (usava as torres de celular para se localizar, bem impreciso), a câmera tinha apenas 2 MP sem autofoco, contra uma de 5 MP com lentes Carl Zeiss de qualidade inquestionável, não filmava (coisa que até um celular de 200 reais na época fazia, não importando a qualidade) e nem aplicativos, mas era revolucionário, foi a primeira tela sensível ao toque agradável de usar. A Apple conseguiu com um celular que não tinha nenhum grande atrativo, ou talvez, um celular com um gigante atrativo sem funções fundamentais nos Smartphones na época, conquistar as pessoas.

iPhone 3GS (fonte)
As outras empresas simplesmente não acreditavam naquilo, tanto que a resposta da Nokia veio apenas um ano depois com o N97, que ao contrário dos comerciais, tinha um interface totalmente lenta e travada. Antes mesmo do lançamento do N97 a Apple lançava o iPhone 3G, que como o nome sugere, tinha 3G e também GPS, mas ainda a velha câmera. Um ano depois veio o 3GS que contava com avanços consideráveis, processador e GPU novos (para você ter uma ideia do poder da GPU, um modelo mais ou menos iguais é usada em netbooks com processador Atom), mais memória RAM, uma câmera com 3,2 MP (qualidade muito superior), filmagens em 640x480 (mesma resolução do N95), era um avanço considerável, valia o upgrade.

iPhone 4S (fonte)
O iPhone 4 seguiu a mesma cartilha do 3GS, com destaques para câmera de 5 MP (que rivaliza com a de 12 MP do Nokia N8, muito boa a câmera, parabéns para Apple) e o novo design (que pessoalmente não gostei). O 4S basicamente adiciona um processador dual core e uma câmera de 8 MP. É interessante notar que para maximizar os lucros (ok, para forçar upgrades futuros), a Apple lançou um produto sem algumas funções fundamentais que qualquer concorrente na época tinha. Só que uma agressiva estratégia de inovação (a tela!) fez desaparecer qualquer eventual desvantagem que o iPhone original tivesse. Pessoalmente acho que apenas na versão 3GS ele passou a ser de fato um Smartphone, pois a câmera era realmente muito ruim nas versões anteriores.

Samsung i450 com Symbian (fonte)
Uma coisa interessante da estratégia da Apple é não lançar diversos modelos de iPhone por ano, apenas um com variação na quantidade de memória interna e recentemente cor. Com um lançamento, o modelo antigo passa a ser o de entrada de linha, isso cria uma situação boa, pois permite facilidade para a Apple controlar o ecossistema. Não ficando fragmentado como o da Samsung, que além de Android fabrica celulares com Bada (sistema que ela desenvolveu), Windows Phone 7, e algum tempo atrás Windows Mobile e Symbian, criando um inferno para manter o suporte e fornecer atualizações de segurança.

Também cria uma identidade com a Marca, você vê o celular e na hora você sabe que é um iPhone. A biografia do Steve Jobs cita isso como uma estratégia da Apple, que vem usando o iPhone, assim como fez anteriormente com o iPod, como uma porta de entrada para seus produtos criando um ecossistema  muito bem integrado, coisa que a Samsung e a Sony (que conta até mesmo com um estúdio de cinema e uma gravadora) tem tudo para fazer, mas falham em muitos pontos.

Como já dito, a Sony poderia fazer essa junção facilmente, mas falhou. Talvez devido a forma que a empresa é organizada, em diversas divisões. Cada uma, relativamente, autônoma com seus próprios resultados. Coisas simples, como a divisão de músicas fornecer algumas, ou algum serviço de assinatura (algo como a Nokia fez mesmo sem ter uma gravadora) gratuito por um período para compradores de celulares e/ou notebook.

Betamax x VHS (fonte)
Um problema da Sony, talvez, seja querer sempre emplacar seus padrões, como foi na guerra entre o VHS da JVC e o Betamax da própria Sony, dos dois padrões de DVD e, mais atualmente, HD-DVD da Toshiba e o Blu-ray. Ou os memory Sticks, enquanto absolutamente todas as outras empresas usavam cartões SD. Coisa que ela quis fazer também com a distribuição digital, querendo emplacar também um formato proprietário de distribuição online, coisa que nunca saiu do papel (novamente segundo a biografia do tio Steve, mas faz todo sentido).

Outra critica a estratégia da Sony é... não ter um padrão de design, você olha um notebook da Sony, se não estiver escrito Vaio não saberia a marca. Na Apple olhando de muito longe você percebe que é um Macbook, ok, com a Sony você está mais seguro contra roubos!

Processador Cell (fonte)
Algumas estratégias da Sony simplesmente não fazem sentido. O Playstation 3 tinha um hardware mais poderoso que o do Xbox 360, mas como era difícil de programar para o Cell, as desenvolvedoras acabaram usando, no começo ao menos, apenas um núcleo do processador (o que era "normal" e o Xbox 360 tinha 3 desses), logo os gráficos eram até piores nele. Por tanto, a Sony investiu em um hardware muito bom, por isso vendia o Playstation 3 por um preço superior e tinha gráficos piores, se não tivesse o nome "Playstation" o console teria sido um tremendo fracasso. A parte de colocar o Blu-ray nele foi uma decisão acertada, em minha opinião, o erro foi em utilizar o Cell mesmo.

E de novo a Sony comete um erro com o novo Playstation, nesse caso o portátil Vita. Ele tem tudo, é um console perfeito, faz qualquer gamer querer um, mas... é muito caro, a maioria das pessoas não está disposta a pagar, os Smartphones pegam uma grande fatia desse mercado. Infelizmente, prevejo um grande fracasso desse console. A Nintendo, que eu até critiquei algum tempo atrás por colocar uma GPU extremamente fraca no 3DS sofreu com o preço, quando abaixou as vendas aumentaram bastante, mas a Sony já deve estar vendendo com uma margem bem apertada, ao contrário da Nintendo, então vai ser bem difícil.

Cade a borda? Design muito bom! (fonte)
Agora voltando a disputa Samsung e Sony. A Samsung tem feito o papel da Sony, ao menos aqui no Brasil. Seja no Carrefour, com o nome da marca gigante em cima das televisões, mesmo de outras marcas, seja na Fastshop com modelos interativos ou com design perfeito, diga se essa televisão não é uma das mais bonitas que já viu. Com isso a Samsung consegue se posicionar para o "povão" com modelos mais simples e toma lugar da Sony nos mais tops.

Em celulares a Samsung está muito a frente da Sony, mesmo com n modelos distintos a Samsung emplacou, provavelmente, o único real concorrente do iPhone, o Galaxy S2. Já usei o iPhone 4, o Galaxy S2 e vi Xperia Arc, digo sem dúvidas que o Galaxy tem o melhor design e a melhor tela que já vi, digno de design da Apple. A Sony também não atualiza a versão do Android de muitos de seus celulares, o Xperia X8, que com exceção da tela, tem um hardware igual ao Galaxy 5 que recebeu atualização para o Android 2.2 (que é importantíssimo para os usuários).

Apple TV antiga e nova
A Apple também não é uma empresa perfeita, pode não parecer, mas mesmo recentemente lançou produtos que não fizeram o mínimo sucesso. Como a rede social Ping, que me parece ser um Twitter voltado para cantores, que deve ser descontinuada de fininho quando ninguem mais lembrar dela. Outra coisa foi o iPod Shuffle sem botões e a Apple TV antiga, se bem que até a atual patina.

Ipad 2 com a Smartcover (fonte)
Atualmente a Apple tem 2 produtos que trazem a maioria do lucro da empresa, que são o iPhone e o iPad, enquanto o iPod tem perdido vendas e os computadores Mac não trazem muitos lucros (se você olhar o lucro por venda, já que as margens são menores), como pode ser conferido aqui. Por outro lado a Sony tem inúmeros produtos, como televisões, players de DVD e Blu-ray, Videogames, celulares, filmes, músicas, softwares, videogames, entre outros.

Entenderam? (fonte)
Apesar das margens bem mais apertadas da Sony, ela ainda assim é maior que a Apple (tem mais divisões, vende mais produtos, apesar da margem de lucro ser muito menor). Um caso recente foram os astronômicos prejuízos causados pelo alto custo de produção do Playstation 3, que foram amortizados pelas demais divisões. A Sony tem um valor de mercado de 17.5 bilhões de dólares, contra 392 da Apple, segunda dados do Wolfram, será que devido aos recentes fracassos (e aliado ao fato de TVs LCDs também terem dado prejuízo) as ações da Sony não estão subvalorizadas?

A questão é, a Apple ganha mais dinheiro do que a Sony, pois suas margens são maiores, já que tem produtos "únicos". Nenhum outro celular tem a experiência de uso de um iPhone, o iPad, até por ser o primeiro tablet decente, conseguiu um marketshare gigantesco. Os demais tablets, com tantos concorrentes do mercado, vão cair de preço, como eles tem um certo padrão (e com o Google tentando botar ordem na casa) vão também alavancar desenvolvedores de aplicativos e a Apple vai ter que diminuir o preço, consequentemente sua margem. Quando a moda Apple passar, se ela passar, o que acho provável, apesar de poder levar tempo, o preço das ações vão cair bastante.

Steve Jobs deixou uma empresa sólida com consumidores fiéis, a questão é que as ações estão sobrevalorizas. É praticamente impossível provar isso antes que elas caiam, mas, em minha opinião, estão. Outro ponto é que a Apple tem 80 bilhões de dólares em caixa, dinheiro que permite ela desenvolver qualquer produto que genial que suas mentes brilhantes consigam imaginar. É difícil que ela consiga emplacar mais um produto como os anteriores, mas é isso que os analistas esperam. Fico pensando o hype que teria acontecido se o Kinect tivesse sido desenvolvido pela Apple.

Resumindo:
  • O Playstation Vita vai ser como o PSP nos últimos anos (quando a pirataria acabou com os lançamentos de terceiros);
  • Apesar disso, o preço das ações da Sony vão subir;
  • A ações da Apple vão desvalorizar, mais ou menos como a Microsoft na década passada, apesar de ser quase impossível dizer quando isso terá inicio, talvez se ela anunciar uma Smart TV (improvável);
  • SmartTVs não vão fazer sucesso (se bem que não precisa de muito para saber disso).

Quem viver, verá!

2 comentários:

Marvel disse...

Concordo com suas opiniões, mas pra falar a verdade a Apple perdeu o cara Steve Jobs. Ele era um cara perfeccionista e chefe, isso tudo deu resultados. Vendo o lado corporação existe muita política, intrigas, falta de comprometimento etc... Que sem um cara referência pra guiar fica difícil as coisas andarem bem.

RicardoZ disse...

Concordo. Temos que ver a Apple de agora em diante. Está na hora dela lançar um produto novo, ele que vai definir o futuro da companhia.