26 de agosto de 2010

Algumas considerações sobre placas de vídeo

Muitas pessoas não sabem como escolher uma placa de vídeo, caem em antigos mitos, como o de que em qualquer caso quanto mais memória melhor, mas na realidade não é bem assim. Alguns artigos que tentam explicar essas coisas se tornam demasiadamente técnicos e complicados, assim tentarei ser breve e só colocar o que pode fazer diferença para o usuário.

A coisa mais importante antes de comprar uma placa de vídeo é saber qual uso você quer fazer do computador, sim uma placa de vídeo top consegue rodar qualquer programa que uma simples roda, no entanto, mesmo para programas leves a top gasta muito mais energia que uma low end. Assim se vocês pretende ficar muito tempo navegando na internet e jogar casualmente, uma placa intermediária, além de mais barata, irá provocar uma grande economia no fim do mês.

O slot PCI Express na versão 1.1 pode fornecer no máximo 75 W para a placa de vídeo, se ele consumir mais que isso necessitará de alimentação externa, placas até as midranges (intermediarias) geralmente não necessitam de alimentação, mas as tops necessitam. 75 W é muita energia (o correto seria chamar de potência), suficiente para ligar 2 monitores LCD de 19 polegadas ou 4 notebooks com a iluminação da tela moderada. Para se ter uma ideia a GTX 480 pode consumir até 250 W, mais de 3 vezes o máximo do slot, uma bem simples com a Radeon HD 5450 não passa de 20 W, uma onboard como a Intel GMA 4500HD nem 10 W.

Podemos pensar na GPU, o processador da placa de vídeo, como a CPU do computador e na memória como na RAM do computador. Geralmente as pessoas preferem comprar o computador com a melhor processador possível levando a situações engraçadas, como num caso em que um Pentium 4 top na época era anunciado com 128 MBs de RAM, assim fica evidente que é necessário um equilíbrio, de nada adianta um processador muito bom se tiver pouca RAM, mas também não adianta muita memória e um processador ruim.

Os vendedores geralmente costumar anunciar suas placas de vídeo pela quantidade de memória, já que é relativamente fácil achar placas com muita memória baratas, no entanto tem uma GPU muito ruim. Atualmente, por exemplo, é fácil encontrar a Radeon HD 5670 com 512 MB e 1 GB de RAM de vídeo pelo mesmo preço, no entanto, apesar de estranho, a de 512 tem um desempenho, na maioria das vezes, superior, já que utiliza memórias GDDR5, enquanto a de 1 GB utiliza memórias DDR2, mais lentas.

O suporte a vários sistemas operacionais também é importante. A Intel, AMD e Nvidia suportam vários, como Windows, Linux e FreeBSD. A SIS, infelizmente, mal suporta o Windows, o Aero (efeitos gráficos no Windows Vista e 7) se rodar, roda mal, então não é, atualmente, uma opção para ninguém.

Outro fato que deve ser levado em consideração são os drivers, a Nvidia e ATI desenvolvem os melhores, assim não ocorrem programas devido a incompatibilidades. Um exemplo são as GMA 4500MHD da Intel, no Windows XP o jogo GTA Vice City roda muito bem, já no 7, mesmo com tudo no mínimo, é impossível jogar, não esquecendo que recursos de decodificação de vídeo usando a GPU das GMAs só funcionam no Windows Vista e 7.

As GPUs também devem ser compatíveis com a API usada, no Windows predominantemente DirectX e em outros sistemas OpenGL. Geralmente logo depois da Microsoft anunciar a nova versão do DirectX as fabricantes lançam placas compatíveis, lembre-se ser compatível não quer dizer que os jogos rodarão bem, já que, infelizmente, os jogos usando os novos recursos da API só rodam nas placas tops. Muito provavelmente uma placa top da geração passada seja mais rápida que uma mid range atual, vide o caso do DirectX 10, um jogo como Crysis, funciona mal em uma Geforce 8500 usando o DirectX 9, apesar de suportar o 10, já uma Geforce 7950GT (que só suporta DirectX 9c) consegue rodar o jogo muito melhor. É importante a placa suportar a última versão do DirectX, mas não é primordial.

Além das APIs para jogos começar a surgir APIs para serem usadas em programas, tais como computação científica, criptografia e conversão de vídeos, essas APIs são a CUDA (suportada apenas pela Nvidia), a DirectCompute e a OpenCl, que infelizmente contam com o apoio somente da Nvidia e da ATI. Para se tornarem populares a Intel teria que suportá-las em suas placas, já que conta com a grande maioria do mercado. Programas como Nero, Roxio Creator e Cyberlink Mediaespresso são alguns dos que já suportam esse tipo de aceleração.

Como pode ser visto até agora existem diversos pontos a serem considerados antes da escolha de uma placa de vídeo, mas se você quiser jogar no computador pode-se considerar apenas a Nvidia e ATI como possíveis candidatas. Para uma placa simples a Radeon HD 5450 é recomendada, para mid range as Radeon HD 5570 ou 5670 são minha recomendação. Caso queira um uso mais casual chips da Intel são bem vindos, em destaque os novos integrados aos processadores da série i3 e i5.

Um comentário:

Deiwis disse...

pode cre! ja tive umas das melhores placas da nvidia, porem gastava muitaaa grana de energia, fui obrigado a trocar XD