13 de fevereiro de 2010

Windows XP: Passado, presente e futuro

O tempo passa, as coisas mudam, envelhecem, porém nem sempre o que é novo é melhor, isso é uma verdade no mundo dos sistemas operacionais, principalmente quando se fala de Windows XP e Windows Vista, onde o sucessor foi massacrado e considerado muito mais instável e lento que o anterior. O Windows 7 foi lançado ano passado e tenta mudar isso, mas nem tudo foi alcançado.

Recentemente adquiri um notebook com a placa de vídeo Intel GMA 4500MHD que suporta o DirectX 10 e roda o Windows 7 muito bem, porém quanto tento rodar jogos antigos, tais como, GTA Vice City, San Andreas, Fable o desempenho é horrível, muito aquém do esperado. Mas depois de instalado o Windows XP consegui rodá-los com desempenho muito bom. O driver de vídeo disponibilizado pela Intel, segundo li na Wikipédia, tem problemas em gerir o Directdraw no Windows Vista e 7 que era usado por esses jogos, tendo um desempenho sofrível.

Vendo que mesmo 9 anos depois do lançamento o Windows XP ainda é um “baita” sistema operacional, que com seus incontáveis patchs se tornou extremamente estável, assim como seu irmão mais novo Windows 7. Resolvi então escrever um artigo falando do XP, como era no inicio e como se transformou nesse sistema que conhecemos hoje.

O início

O ano é 2001, todos falam mal do bug do milênio, ops Windows ME (até o nome é parecido com um bug). Deixe-me explicar melhor, o Millennium é baseado na arquitetura do Windows 98, que por sua vez é baseada na do 95, ou seja, era uma arquitetura totalmente defasada para a época. A Microsoft com toda a onda da internet colocou vários recursos multimídias, como, por exemplo, o Windows Movie Maker (que até hoje existe, com o nome de Windows Live Movie Maker), um Windows Media Player remodelado, o que aliado aos novos recursos de proteção do sistema, como a “restauração de sistema”, tornava o Windows pesado e instável.

O Windows 2000 não era um concorrente do ME e sim um companheiro, como o Windows XP Home é para o Professional, um voltado para o mercado doméstico, outro para estações de trabalho. Mas, ao contrário do Windows ME, o 2000 é baseado no kernel NT, que é mais estável e continua a ser usado até hoje no Windows 7.O Windows XP veio a substituir esses dois Windows, usando apenas um kernel para o mercado doméstico e empresarial. Poderíamos definir o Windows XP como uma junção das melhorias multimídias do Windows ME com o Kernel do Windows 2000, tanto que o Windows 2000 é a versão 5.0 e o Windows XP 5.1 do sistema, mais uma agradável melhoria visual.

Sem dúvidas, como pode ser lido anteriormente, a principal vantagem do Windows XP em relação aos antigos domésticos é a estabilidade proporcionada por um Kernel NT. Mas, além disso, ele contava com novidades que justificavam seu uso, como:
  • Um menu iniciar totalmente novo, um painel de controle remodelado e, principalmente, uma remodelagem total do tema usado;
  • Hibernação: o conteúdo a memória RAM é copiado para o HD e o computador é desligado, quando religado é copiado de volta à RAM, assim todos os programas são restaurados como estavam anteriormente, além de ser mais rápido do que um reinicio normal;
  • Clear Tipe: é um recurso que arredonda as fontes fazendo que sejam melhor visualizadas em monitores LCD;
  • Troca rápida de usuários e manter vários usuários logados com programas em execução;
  • Suporte a DSL e Wireless;

Os Service Packs

Os Service Pack também trazem funções novas, apesar desse não ser o objetivo deles, confira abaixo as novidades de cada um:

O SP1 foi lançado aproximadamente um ano após o lançamento do sistema, contava com suporte ao padrão USB 2.0 e uma central chamada “Definir Acesso e Padrões do Programa” onde é possível definir os programas padrões do sistema, como browser, player de mídia, mensageiro instantâneo e máquina virtual Java.

O SP2 foi lançado em agosto de 2004 e é, sem duvidas, a maior alteração pela qual o sistema já passou, conta com inúmeras melhorias, entre elas:
  • Um firewall integrado ao sistema e a introdução da “Central de Segurança” que verifica a existência de um antivírus atualizado, de um firewall ativo e se as atualizações de sistema estão ativas, caso algum destes não esteja de acordo ele informa ao usuário;
  • Suporte as instruções NX bit, uma novidade aos processadores da época que está disponível para todos os processadores atuais, permite uma melhor proteção contra Buffer overflow, não 100% é eficiente;
  • Suporte à criptografia WPA em redes sem fio, uma melhoria extremamente importante, já que a criptografia usada anteriormente, chamada WEP, estava totalmente defasada e em pouco tempo é possível descobrir a senha usada;
  • Suporte ao broqueio de pop-ups no Internet Explorer 6 (alguém ainda usa isso?);
  • Suporte à Bluetooth integrado ao sistema, antes cada desenvolvedor precisava criar um programa para gerenciar os devices Bluetooth, com essa atualização o XP passou a vir com suporte nativo;
O SP3 não foi tão revolucionário como o SP2, serviu mais para trazer alguma novidades do Vista ao XP e permitir a instalação de dezenas de atualizações pós-SP2 em apenas um pacote. Uma crítica ao SP3 é a falta do Internet Explorer 7 (o 8 foi lançado apenas depois do lançamento do Service Pack) e do Windows Media Player 11.

Talvez a única diferença notável para os usuários seja o suporte a WPA2, melhorando o que o SP2 já havia introduzido. Outra mudança é o suporte ao padrão HD Audio (sucessor do AC97), que antes era suportado através de uma atualização, além da introdução do Microsoft Kernel Mode Cryptographic Module que “implementa e oferece suporte aos algoritmos de hash SHA2 (SHA256, SHA384 e SHA512) na validação de certificado X.509”.

Como pode ser visto, muitas funções muito usadas atualmente não estavam disponíveis no Windows XP original, mas com o tempo foram adicionadas através de atualizações e fizeram com que o Windows XP possa ser usado até hoje sem falta de nenhuma função indispensável.

O XP com o lançamento do Vista

Porém com a chegada do Windows Vista o XP a não ser mais a “menina dos olhos” da Microsoft, assim as atualizações para novas funções passaram a ser direcionadas ao Vista e mais atualmente ao 7, no entanto nenhum dos dois Service Packs trouxeram novidades aos usuários, apenas mudanças internas invisíveis.

O Vista conta com diversas mudanças, como:

  • A presença do Windows Defender, um anti-spyware incluso no sistema, que pode ser instalado no Windows XP. Faça o download no site oficial http://www.microsoft.com/brasil/athome/security/spyware/software/default.mspx ;
  • A integração do Desktop Search integrado ao sistema, também pode ser instalado no XP sem problema nenhum, apesar da versão do XP não estar tão integrada ao sistema. Para instalar é apenas ir no Windows Update é instalar através das atualizações opcionais;
  • O suporte à exFAT, um novo sistema de arquivo para pendrives, câmeras, ou seja, dispositivos com memória flash externos. Foi introduzido ao Vista no SP1 e no XP através de uma atualização que pode ser baixada aqui.
  • Suporte nativo à AHCI, ou seja, nada de ficar precisando colocar drivers Sata em disquetes durante a instalação do Windows XP. Apesar da maioria das placas mãe atuais permitirem que se emule o HD Sata como se fosse IDE, facilitando a instalação, mas perdendo desempenho;
  • O DirectX 10, uma nova versão do DirectX que muda completamente o sistema de vídeo do Windows, assim os drivers necessitaram ser re-desenvolvidos para oferecer suporte a ele. Infelizmente essa novidade nunca foi lançada ao Windows XP, já que necessitaria de profundas mudanças, então não espere que as versões “hackeadas” encontradas facilmente tenham o mínimo efeito;
  • Um sistema de som remodelado, funções como EAX presente na maioria das placas de som passaram a não funcionar, já que o áudio passou a ser controlado pelo processador, apesar de ser possível emular através do OpenAl. Uma vantagem é a possibilidade de controlar o volume de cada programa individualmente.


Com o lançamento de novas tecnologias como USB 3.0, é provável que apenas o Windows Vista e 7 recebam atualizações para suportá-lo nativamente (já está previsto o suporte ao USB 3.0 no SP1 do 7), assim o XP necessitará de drivers de terceiros para fazê-lo.

Alguns programas e jogos também não são mais compatíveis com o XP, como, por exemplo, o Windows Live Movie Maker incluído no pacote Live, onde todos os outros programas ainda são compatíveis. Jogos que rodam apenas em DirectX 10 também não são, como Stormrise da Sega, porém Crysis que era um dos garotos propaganda da capacidade do DirectX 10 roda sem problema algum em DirectX 9.

Como o Windows XP entrou na fase de suporte estendido, é provável que cada vez mais os novos programas lançados pela Microsoft sejam compatíveis apenas com as versões mais novas, apesar de ter um suporte melhor que o 2000. A título de curiosidade o Windows 2000 terá o suporte estendido terminado em 13 de julho de 2010, e desde que entrou nessa fase programas novos como o Internet Explorer 7 ou Windows Media Player 10 não foram lançados para ele, nem mesmo o .Net mais atuais que a versão 2.0 que são necessários para rodar diversos programas atuais.

Também a título de curiosidade o Mac OS X 10.1 foi lançado 1 mês antes do Windows XP e já teve 5 versões posteriores (até a versão 10.6, lançada há pouco tempo, conhecida como “Snow Leopard”) e o Windows apenas 2 versões posteriores. Isso mostra o nível de comprometimento da Microsoft com o Windows XP, que ainda têm um ótimo suporte, enquanto o 10.3 foi abandonado há anos. O programas mais atuais para Mac geralmente rodam no “Tiger”, a versão 10.4 lançada em 2005, enquanto outros lançamentos como o Magic Mouse (um mouse que suporta gestos multi-touch) precisa de, ao menos, a versão 10.5.8.

Conclusão

O Windows XP em dezembro de 2006 tinha 85% do mercado de sistemas operacionais, ou seja, em cada 20 pessoas 17 usavam-no, é muita coisa. Mesmo vários anos após o lançamento o Vista ele ainda conta com 67% (dezembro de 2009, segundo o marketshare.hitslink.com) de participação, o que demonstra a falta de adoção do novo Windows.

Como grandes empresas ainda usam o Windows XP (um exemplo é a Globo, onde durante o Jornal Nacional é possível ver a proteção de tela do Windows XP nos computadores atrás do cenário), a Microsoft ainda deverá manter um suporte melhor que o estendido, ou seja, apesar de estar classificado como suporte estendido o XP os novos programas, como Office 2010 e .NET 4.0, ainda irão suportá-lo, apesar, como disse acima, de alguns programas da Microsoft não serem mais compatíveis.

A melhor escolha para usuários do XP é a migração para outro sistema assim que possível, o que acabará acontecendo naturalmente na compra de novos computadores. Recomendo para quem não quer gastar com uma cara licença do novo Windows a migração para alguma distribuição Linux, em especial o Ubuntu, onde apesar da falta de programas em algumas áreas especificas é possível usar a internet, escutar músicas, gravar DVDs, assistir vídeos, ou seja, todas as tarefas cotidianas sem problemas.

Um comentário:

Wilson disse...

Parabéns, deve ter dado muito trabalho pesquisar e escrever, muito interessante a história do Windows XP!